segunda-feira

FRONTISPÍCIO


Esta coleção é uma edição histórica reunindo a totalidade das matrizes em metal de Marcello Grassmann, gravadas pelo artista ao longo de sua vida, disponíveis e utilizáveis em 2009, à qual poderão ser acrescentadas novas obras ainda não feitas ou finalizadas.

Em 2007 foi feita uma tiragem de oito cópias de todas as matrizes do artista. Das oito, sete foram encadernadas em grandes volumes para evitar dispersão e tornar agradável o manuseio. O objetivo de reunir estes trabalhos em uma edição é estabelecer um padrão para futuras edições. A gravura é uma forma de produção artística cuja qualidade depende de vários fatores: a conservação das matrizes originais, a perícia e fidelidade do impressor e o numero de impressões de cada
matriz – normalmente, a qualidade é inversamente proporcional à quantidade de edições, daí a raridade de certas gravuras. Sempre levando em consideração os fatores técnicos, é possível fazer cópias séculos após a criação das obras. Posteriormente foi verificado que, para museus, a apresentação em folhas avulsas favoreceria a montagem de exposições. Com isso nasceu a idéia de fazer uma nova tiragem de
doze cópias com as gravuras em folhas soltas colecionadas em quatro pastas. Dois anos depois estava finalizada a nova edição.

Marcello sempre gravou as placas pessoalmente. A presente tiragem foi feita por Roberto Grassmann, irmão e, há quarenta anos, impressor das obras de Marcello.
A impressão foi feita em papel alemão Hahnemuehle de gramatura 300 com uma tinta preparada com óxido de ferro (Pó Xadrez) e azul da Prússia da marca Charbonnel.

A ordem de apresentação das gravuras é a mesma da edição de 2007, com os acréscimos colocados em sequencia. Não é possível datar exatamente as gravuras do artista, pois muitas placas foram trabalhadas e retrabalhadas durante anos. Raramente as cópias eram datadas. As imagens foram agrupadas por grupos de assunto e colocadas em ordem aproximada de produção.

Temos agora a coleção da obra gráfica em metal de Marcello Grassmann. É uma forma de preservar sua obra e homenagear o artista, que em 2010 completou oitenta e cinco anos.

Pedro Hiller
Editor

Nenhum comentário:

Postar um comentário